domingo, 18 de julho de 2010

Faz de conta.

Você passa a sonhar com deus,
E se furta da realidade.
Põe o pé no chão e pisa em ovos,
Fede dos pés às cabeças
E não tens noção disso.
Seu pensamento é curto,
A paciência não existe.
Perseverança é um pedido de paz,
Mas é preciso lucro.
E pra lucrar: guerra.
Teus dois mundos.
O real e o surreal.
És abstrato, Pollock.
Sou abstrato, John Squire.
Somos irreais.
Duas extremidades confusas,
o eixo é infinito.
Das coisas simples,
você faz sonhos.
Das complicadas,
Caipirinhas.

2 comentários:

Confusa disse...

Cheers!

ju staël disse...

Das coisas simples,
você faz sonhos.
Das complicadas,
Caipirinhas.



adorei isso.