terça-feira, 14 de outubro de 2008

Vontade.

Algo que escrevi quando tinha uns dezesseis anos.


Eu levantei hoje às 08 horas, com uma vontade insípida de fazer sexo.
Foi nojento, juro.
Um homem, praticamente culto, praticamente nulo, com uma vontade impraticável? Oh yeah... My God!
Eu queria a todo custo levantar da cama, mas, eu não me levantava sozinho, éramos eu e ele, ele embaixo eu em cima, quanto sonho bobo, quanto desejo famigerado, me lembrei de quando eu era pequeno; todos me falavam que isso não era coisa de gente educada. Sexo - oh yeah, my God - não é coisa de gente do bem, não é coisa de gente que tem por objetivo ser alguém na vida, em vida social, em vida cordial, um menino bom, um homem certo, e um velho sábio, segundo me diziam, não poderia pensar em sexo, imagine então, às oito horas da manhã!
Acabei por criar minha tese, sou este mesmo famigerado, sou o mesmo homem incerto, um futuro velho burro, um passado garoto negligente que vive a vida por prazer.
Não que tenhamos que praticar sexo a torto e a direita, mas, façamos sempre às direitas!

2 comentários:

Joana disse...

Dezesseis?
(Perdoes, é sono.)

Notas de velho chapado disse...

sim, sim. Joana! :) Com dezesseis e hoje com 24! faz um tempo! hehe