terça-feira, 30 de agosto de 2011

Poema de morte e vida.

E aconteceu,
Como num começo, meio e fim,
De um maldito conto de fadas.
O maldito que,
Você se vai.
O príncipe fica.
E você diz que ama.
O Príncipe também.
E não há o que fazer.
A história da melancolia
envolve todos os romances.
O conto de carochinha,
O conto da vovó.
A Bíblia.
Seu deus,
Os deuses.
Todos se vão.
Tudo há de morrer.
Mas neste momento,
Esta lágrima vive.
E este homem ama
o que há de morrer.

Um comentário:

Ju V disse...

Neste exato momento eu sei bem o que vc está falando... Provavelmente de uma maneira diversa, mas sei.