segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Ela e o mar.

Eu tinha um desejo enorme por ela, não sei se havia me apaixonado. Tinha
alguns desejos insolentes, quando ela tirava a roupa pra mim; eu fazia o que jamais
fizera antes, dizia que a amava, que a curtia, que a aspirava, que queria casar com ela. Mas logo gozava, íamos dormir e no outro dia era a mesma coisa. Jamais casamos.
Num certo dia fui trabalhar logo cedo, ela ficou arrumando a casa, abri o
guarda-roupas, não havia reparado que as roupas dela não estavam lá, mas jamais iria reparar eu a amava sem roupas e quanto menos ela tivesse, melhor era pra mim.
Trabalhei muito aquele dia, tomei duas ou três cervejas no almoço, dois
copos de conhaque. Paquerei a garçonete, comi dois torresmos fritos ao puro óleo, eram óleo puro.
Não queria voltar pra casa, passei na zona, tomei uma cerveja, depois um uísque, meu
dinheiro era escasso, resolvi não gastar com nenhuma trepada, talvez fosse melhor pra
comprar uma garrafa de vodca.
Cheguei em casa, havia uma carta dela dizendo que tinha ido embora pro mar, não sei, talvez ela foi pescar, voltaria alguma hora daquele dia, algum dia daquele mês,
mas voltou num ano dá próxima década.
- Amor, posso voltar e morar contigo?
- Se quiser, ficaí, mas tenho outra mulher.
- Tudo bem, mas eu ainda te amo, voltei por sua casa e vou te reconquistar.
- Tudo bem.

A outra mulher foi embora, eu não queria mais que ela visse a casa com
cheiro salgado de mar que a outra houvera trazido. Peguei a outra, tirei a roupa dela, disse que a amava, trepamos por noites inteiras e dias ativos, sol no céu, quentura na cama. Mas ela voltou tão débil e menina que perdi o encanto.

- faço uma proposta. disse ela.
- não aceito propostas, não quero mais nada.

Ela não havia percebido que era enjoativa, menina e puta. Todas elas eram
putas, algumas gostavam às vezes de alguma adoração. Como diria Anaïs Nin.

11 comentários:

Marianna disse...

recomende-me um bom blog!

o problema de ler o que você escreve é achar todo o resto uma merda depois, é foda.
eu quero meu livro autografado.

A Priii disse...

intenso... bem intenso.

Anônimo disse...

Isso que é amor. A mulher volta depois de 10 anos e vc ainda aceita?

Teófilo disse...

ou o sexo dela era muito bom!:)

Anônimo disse...

E aí não é mais facil procurar uma puta?

Teófilo disse...

não, porque puta cobra. E nunca se sabe se o sexo dela será bom.

Anônimo disse...

rsrsrs, se a mulher faz bem e faz de graça, libera o endereço pra galera.

Teófilo disse...

Esse anônimo é homem, safadão! Sabia que vc queria chegar em algum lugar! Ela já morreu, uma pena.

Silvia Mendonça disse...

Possivelmente, Téo, esta é mais uma que esta no inferno e vai te cobrar a conta diante do diabo. A única coisa que a diferencia de uma puta de bordel: ela não cobra (dinheiro). Mas cobra amor! Não seria mais fácil pagar do que regatear amor? Por que todas as mulheres para ti tem o mesmo perfil: são "putas"? Porque se entregam às tuas taras como se amor fosse? És um bom ator, Téo! Eu quase me deixei enganar!

Anônimo disse...

Ler-te aqui me fez lembrar, Ah! como eu queria ser a tua puta...

Freak Butterfly disse...

concordo!