quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Carta à amiga.

Não lembro como chegamos até lá,aliás, eu queria mesmo esquecer tudo, tudo que passamos naquele dia. Lembro que na hora de trepar ele pôs aquele pau pra fora, ele chupou minha boceta, ele fodeu, mas fodeu mesmo, porque tava seca, eu não tinha tesão por ele. Gemia baixinho pra que ele pensasse que meu tesão era introvertido, mas é que se eu gritasse, um pouco mais, ele veria que era mentira.
E de repente - chamei outro homem pelo nome. E ele continuou dizendo: Não sabes ou não lembras meu nome?. Eu não havia o que falar, eu havia me depilado, havia pensado que quando ele me chupasse eu gozaria na boca dele, que quando ele dissesse: Sexo. Eu esqueceria o amor e só quereria sexo. Veja bem, amiga. Escrevo esta carta pra que não me julgue ter brincado com seu namorado; mas não dá pra realizar seu fetiche bem feito de dizer que seu namorado comeu a sua melhor amiga e veja se isso é lá fetiche
que se tenha, é que depois que descobri o amor, não consigo diferenciar o sexo do amor e o homem que amo persiste e perdura em mim aonde quer que eu esteja. Procure
outra amiga pra te dizer que seu namorado é bom de cama, o amor me impediu de fazer isso.


por Téo.

3 comentários:

Luana disse...

"não consigo diferenciar o sexo do amor e o homem que amo persiste e perdura em mim aonde quer que eu esteja."

você lê almas. *medo*

Poliana disse...

Muitissimo bom! eu adoreiiiiiiiiiiiii como disse Luana, vc Lê almas!

Anônimo disse...

Se eu não soubesse q isso realmente aconteceu com vc ficaria ainda mais enlevado! Muito bom!

Rodrigo