domingo, 25 de abril de 2010

...

Você tenta seguir por caminhos incorretos pra que não haja problema entre o viver, existir e sentir-se humano. Porque se é pra errar, vamos fazer a coisa certa, é preciso que se viva muito alem do limite, é preciso que suba e desça diversas vezes da sua montanha de relação ódio/amor. Quando você se cobra demais tem que se cuidar, porque pode não haver condições de fornecer o troco ou salário. Entre viver e sobreviver não tens apenas duas escolhas.
O maior problema é quando a vida se demonstra mais egoísta que você! Ah, aí você sabe que há alguém sempre pior que tua alma dilacerada, enfadonha e minimalista.
Quando você vê que a vida te rouba tudo, honestidade, sinceridade, competência, força, inteligência, sabedoria, amor, paixão, carinho e capacidade, a vida te furta tudo, só não te furta a culpa, o arrependimento e o desdém.

3 comentários:

Aline Patrícia disse...

Recordo a primeira vez que ouvi (li) essa frase tua. Não sei se vc se lembra, mas ela não me veio em uma madrugada muito boa. Agora posso falar: acho-a incrível, talvez por esse atributo de eximir-se da responsabilidade por ter a vida que se tem. Fugir talvez seja um dom, uma arte, como eu já disse em viagem, fugir dos nossos fantasmas imediatos, mesmo que estes sejam apenas reflexos de nós mesmo. Nesse caso, é por demais difícil encarar o espelho, não? Longe de mim querer censurar alguém bancando a mãe, até porque acho que já estás bem grandinho pra isso, meu bem. Teu "personagem" sempre parece desajustado de tudo, da vida, das pessoas e dos sentimentos que a nosotros parecem tão legítimos e isso deve ser de um tédio incomparável - e sempre lá se vão uma, duas, três... cervejas a perder de conta - ensejadas.
Não vejo o que dizer, assim como por esses dias não tenho visto com certeza o que fazer. Enfim, as descobertas estão aí, parece que não há saída, só vivendo, meu bem, seguindo.

Baccio :)

Janaina Cristalina Prolixina. disse...

É do compromisso consigo mesmo que se evita o furto das virtudes, amando a si acima de tudo que a descida na montanha não é brusca. É quando a gente se perde que tudo se encaixa, é quando a gente se perde que percebe o que estava fora do lugar, é se perdendo que se encontra, é ignorando o amor que de repente acaba amando.

karine luadek disse...

a vida nunca tira tudo...
mas agente sempre se sente um merda quando ela passa a mão na sua bunda ou de diz: "perdeu"